Google+ Badge

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Vermes


Sou o verme, vivo acoplado a tua pele dita humana, sou o parasita que perfura os teus ossos e te faz sentir dores indizíveis, alimento-me de tua angústia e escravizo-te paulatinamente...
Disfarço-me quando for preciso, preciosa natureza humana, diferente dos livros e dos ratos, tem o gosto balsâmico, o cheiro de pecados...
Tenho plena liberdade no ócio das tumbas, adormeço entre as carnes pútridas e os sonhos desolados, conheço as palavras, eu as fiz nascer em tua boca nas horas precisas, precisa carne natureza humana...
Depois da queda o contra mão, a válvula de escape, o orgasmo.
Sou o verme, estou em teus braços, em teus traços, copulando com outros vermes, obstruindo as tuas veias, no meio de tuas rugas, sou o verme que sugou a tua juventude, contigo assisti a primeira e a ultima chuva e o golpe de fez desvanecer as pequenas margaridas...
Agonia, agonia em plenitude, inconsciência Freudiana, não creio que somos a condenação humana, paradoxalmente somos o início de tudo.


Janaina Cruz

Poema recitado por Mauricio Andrade:

28 comentários:

  1. E seremos sempre o início a dar continuidade aos dias que temos que viver - como vermes ou como bichos já completos. Gostei, Jana. Muito contundente...
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Malu, sua presença aqui no blog me deixa muito feliz!!!

      Excluir
  2. Bem, penso que o fim de um ciclo representa o início de outro, portanto, nunca há verdadeiramente "fim", existem recomeços. parabéns, Jana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grata sempre por tua visita Carlos... As vezes o fim é só um sonho do cansaço da estrada...

      Excluir
  3. Respostas
    1. Adorável Ana, sempre me encanto com tua presença...

      Excluir
  4. Respostas
    1. Saudades de ti menina e de tuas cores aqui no pedaço!!!

      Excluir
  5. Poema forte e vibrante.
    Gostei muito, é excelente.
    Janaina, minha querida amiga, tem um bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada meu amigo, volte sempre aqui, e me faça feliz com seu comentário... :)

      Excluir
  6. Gostei muito do que vi !
    Muito difícil encontrar espaços bacanas como este :_)

    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada,

    http://bolgdoano.blogspot.com.br/

    Agradeço desde já !

    ResponderExcluir
  7. Olá querida amiga!
    Seus textos estão cada vez melhores, esse especificamente é muito forte, sombrio, cheio de imagens, muito bem escrito!
    Grande abraço, sucesso e ótima semana!

    ResponderExcluir
  8. o verso como inicio e termo contorverso

    "Sou o verme, estou em teus braços, em teus traços, copulando com outros vermes, obstruindo as tuas veias, no meio de tuas rugas, sou o verme que sugou a tua juventude, contigo assisti a primeira e a ultima chuva e o golpe de fez desvanecer as pequenas margaridas..."

    poderoso e inquietante

    Bjo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Filipe, os vermes vivem a inquietar-me a alma...

      Excluir
  9. Um texto muito profundo, muito arrepiante!!!
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  10. Venho desejar-lhe um Feliz e Santo Natal.
    Minha página do Facebook é Marques Irene.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  11. Querida amiga.

    Meu desejo para os que habitam
    o meu coração,
    é um mergulho no tempo,
    onde cada dia,
    é um dia de ano novo,
    e cada sonho,
    uma senha a ser descoberta,
    nesta caminhada rumo a alegria.

    Muito obrigado por sua amizade.
    Que sejamos e façamos felizes a cada dia.

    ALUÍSIO CAVALCANTE JR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve professor, estarei espelhando-me em ti...

      Excluir
  12. Oi Janaína! Há tempo que não a visito (início do ano letivo - drama!).
    Espero que tudo esteja bem com vocês!
    O niilismo se mesclando com o existencialismo desse poema é de uma profundidade desértica e plena. Perdi o fôlego!
    Um abraço e tenha bons dias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A faculdade anda me pondo louca Augusto, mas aprendi a driblar o tempo... rs

      Excluir
  13. Olá, querida Janaína
    Deus quis dar ao homem primazia na criação... lindo isso!!!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada minha : ), doces beijos pra ti...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...