Google+ Badge

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010



Crime

Tudo fica estranho e frio quando emudeces
No silêncio acomodam-se teus encantos
Que já não são tantos
E cada vez que isso acontece
Tu cometes um crime
Permaneço encurralada
Tu miras
Só se ouve as rajadas
A poesia veste-se de luto!

Janaina Cruz




E


Poema(Despedida) recitado pela equipe dom em vozes.

91 comentários:

  1. Seu rosto é lindo...mais encanta
    Seu coração é poço de bondade...mais afunda
    Seu olhar tem o brilho do sol...mais encandeia
    Suas palavras tem doce mel...mais enjoa
    Você é luz, espírito iluminado que Deus colocou com suavidade no meu caminho.
    Obrigado por me achar, beijos de luz e muita paz.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, você merece!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. crimes de pólvora seca, mas com impacto profundo e tantas vezes irreversível, verdade?
    belo texto (o das palavras e o icónico)
    beijinho!

    ResponderExcluir
  4. O silencio as vezes machuca sim, as vezes mata um sentimento,mas muitas vezes o silencio diz muito....grande beijo de lindo dia pra ti.

    ResponderExcluir
  5. Uma palavra simpática ou um sorriso aberto modificam toda a nossa vida e transformam o nosso olhar a vida com outro dinamismo.

    Bonitos pensamentos.

    ResponderExcluir
  6. Quando a poesia se veste de luto, é porque o poeta morreu, mas não foi o que aconteceu, foi somente o silencio das palavras.

    Um beijinho,
    José.

    ResponderExcluir
  7. Janaina, Como todos nós gostaríamos que
    fosse diferente, balas de mel, rajadas de bombons, um festival de Paz e alegria,
    Um mundo sem malícia
    Sem facções e milícia
    Belo poema... como sempre! tens muita sensibilidade.

    ResponderExcluir
  8. Palavras certas num tiro poético de fantasia.
    Gosto!
    ...Porque a poesia não se mede pelo volume de palavras, mas sim pela sua sintetização!

    (grato por visitar e comentar o que edito no meu blog e ainda por segui-lo)

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito de seu blog!!Parabéns e adorei sua visita!Esteja sempre por lá!!!Onde...só vale se OLHAR DENTRO DOS OLHOS!

    beijos!

    Bia

    ResponderExcluir
  10. Adorável seu texto! O barulho que se ausenta para a plenitude do silêncio da um êxtase diferente as palavras. Apareça sempre!

    ResponderExcluir
  11. Um espaço cheio de encantos.
    Gostei!

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Retribuindo sua visita,obrigada!
    Parabéns pelo lindo Blog:)
    Tarde linda para você...
    Beijos fica com Deus!

    ResponderExcluir
  13. Eita. obrigado pelo carinho lá

    fico feliz voce gostou

    meu aplauso. gostei "tu miras"

    parabens tb pelo presente voce é um doce

    beijos no seu coraçâo!!

    ResponderExcluir
  14. Janaína!

    Que bom receber seus comentários em meu cantinho. Realmente a tristeza quase sempre nos dá motivos para desabafar em forma de versos. Mas a vida é assim mesmo, passamos por fases e fases e, ainda continuamos na rotina como ela é.
    Você também escreve coisas maravilhosas. Fico sempre a contemplar seus belos versos, bem como a sua forma de encarar a forma artística de todas as coisas com uma genialidade especial. Imagine só, transformar uma caneta esferográfica em uma arte plena. Admiro muito sua forma de expressão!

    Realmente o crime é realizado em um momento triste! Não sabemos, mas em todo crime existe uma doença psicológica entre os seres que necessitam de um tratamento especial. Muita vez este tratamento não é encontrado aqui na Terra e, talvez seja necessário um tempo determinado para que ele tenha o seu preço cobrado na Lei de “Ação e Reação”, própria da própria Natureza.

    Belíssimo seu poema!

    Beijos!...

    ResponderExcluir
  15. Oiê!

    Nossa! Tudo fica estranho e frio quando o poeta se cala...
    Obrigado pelo carinho, linda poesia!

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  16. Prezada Janaína, boa noite.

    Poucas vezes li um texto curto que me tocasse tanto quanto este teu. A tua poesia é muito expressiva, intensa. Minha admiração. E obrigado pelo gentil comentário que deixaste a um dos meus modestos poemas.

    Abraços. André

    ResponderExcluir
  17. Trecho de uma canção que eu fiz um dia desses: "Como pode a resistência ser mais forte se a dor vem lenta, e, lenta, a mente enfraquece?"
    Quando vier o disparo, defenda-se.
    Quanto mais disparos acumular no coração, mais frágil ficará e pode surgir uma hora em que desfaleça profundamente.
    Que venha a dor, mas que, junta a ela, surja a libertação e não o aprisionamento.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  18. O silêncio as vezes é bom quando não precisamos dele.

    Muito expressivo e lindo seu poema

    Abraços.

    ResponderExcluir
  19. O mesmo silêncio que é frio e vazio, às vezes é a mais calorosa companhia.

    Obrigada por soltar linhas tão belas pelos meus ares.

    Lindo o teu espaço!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Boa noite!
    Vim retribuir sua preciosa visita em meu cantinho.
    Belíssimo poema!
    O poeta não pode calar a voz que vem da alma e do coração.É um crime...
    Tenha uma noite especial.
    Carinhosamente, Lady.

    ResponderExcluir
  21. Lindo seus versos, querida amiga! Quando acontece de algum silêncio se evidenciar, de fato parece que a poesia fica enlutada, mas depois volta com mais força ainda,q uerida! Meu beijo com meu carinho sempre, flor!

    ResponderExcluir
  22. Vim agradecer a tua visita e encontro este belo poema.
    Estou te seguindo, pois voltar aqui vale a pena.
    Lindos teus tesouros q são os teus filhos.
    Deus os iluminem.

    ResponderExcluir
  23. Apesar de triste não deixa de ser um poema belo demais e que tocou-me a alma....
    beijos querida.

    ResponderExcluir
  24. O silêncio fez a poesia se vestir de luto e com ela foram embora a alegria das palavras inteiras e transbordadas. Ah Janaina, tudo seu é tão visceral!

    Beijo imenso.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  25. Bem vinda em meu blog e em meu coração...lindíssima mulher,mãe,esposa...
    Te sigo porque gostei muito do que vi e li por aqui!!!!!

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. não sei o que machuca mais, o silencio ou as palavras mal ditas...

    beijo!

    ResponderExcluir
  28. Beijo super carinhoso de bom dia, cheio de poesia e sorrisos....

    ResponderExcluir
  29. Estimada e Preciosa Amiga:
    Tudo aqui cintila de ternura, encanto e deslumbre.
    Mesmo com a sua arma apontada não faria nada.
    Parabéns pelo Ser Humano sublime, enorme e divinal que é de explendor. Ternura.
    Parabéns por mais um Post perfeito.
    Abraço amigo de respeito.
    Sempre a estimá-la e a admirá-la

    pena

    Bem-Haja, pelo carinho expresso no meu blogue.
    É linda.
    Bem-Haja, pela sua magia doce quando escreve.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  30. Que contar da Poesia?
    Veio de longe, anos-luz
    Para habitar Jana Cruz
    E sua Esferografia...

    ResponderExcluir
  31. Jana, gostei imenso do poema. É muito bom, parabéns.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  32. Olá Janaina,
    "A poesia veste-se de luto"
    ainda assim se apresenta
    do profundo à superfície
    imagem chocante

    levo você para por onde vão meus olhos

    um abraço prati

    ResponderExcluir
  33. Eu tenho medo desses momentos, quando nos damos por conta de que não temos mais tantos encantos. Vou gurdar uma poesia na manga para me salvar...

    Abraços,

    ResponderExcluir
  34. O poema é belo, apesar de pequeno e abordar um tema triste... mas é muito expressivo.

    ResponderExcluir
  35. Realmente! Tudo fica estranho e frio quando não ouvimos aquela voz... Fica um silêncio pavoroso! Um tiro certeiro mata o amor, deixando um luto e nos calamos. Mas fica a esferográfica para não matar a poesia!

    - Quase não consigo decifrar o pequeno crime, rs!

    Curti muito as suas doces palavras no meu blog!
    Beijos...

    ResponderExcluir
  36. Janaina!

    Agradeço por estar seguindo os meus "Gritos!

    Gostei muito de seu poema...há silêncios que são mesmo mortais!!!

    Um beijo e meu carinho!

    Sonia Regina.

    ResponderExcluir
  37. Jana, bom dia linda poetisa!
    Teus versos encantam...
    Um poema curto, mas que faz lembrar uma frase filosófica: "é nos pequenos frascos que estão as melhores essencias".
    Aqui está a essência do silêncio que mata, que veste de luto a alma do poeta.
    Encantador e percebo que realmente tinha razão quem falou que quanto mais triste, mais belo é o poema. Infelizmente...
    Final de semana de muita inspiração e que Deus abençoe grandemente a sua vida, amiga linda!
    Beijos em seu coração,
    Anna

    ResponderExcluir
  38. PASSANDO POR MOMENTOS FORTES EM NAU MINHA,AQUI APORTEI,PARA RESPIRAR POESIA,RECEBER LUZ TUA E ME INUNDAR DE TERNURA,PELA PESSOA QUE ÉS !

    TUA BENÇÃO,

    MININA JANA

    ResponderExcluir
  39. Na visita a um blog com um cativante sentido estético, o encontro de um poema força em bela poesia.

    Bjoca

    ResponderExcluir
  40. O silêncio é um crime,
    mas é a alma da palavra.

    ResponderExcluir
  41. Olá Jana!
    Belo pomea! Intenso... a poesia fica de luto quando a palavra emudece, e a indiferença impera...
    Mas o silêncio poético das palavras foi muito bem mostrado nestes versos! Este sim, encanta!

    Beijos e bom final de semana

    ResponderExcluir
  42. Oi Jana! Poesia enlutada, lindo isso!
    Adorei o poema, adorei o blog. Sigo-te.
    Obrigada pela visita e volte sempre que quiser.
    Um bj querida amiga

    ResponderExcluir
  43. Poemas não saturados e googleados, encontro aqui no seu blog, resultado uma delicia "a alma fica lavada" os ombros leves, satisfação, eu li vários poemas teus neste blog. e todos deixam sem palavras, estavam no cofre do seu coração e agora em exposição mostrando toda a riqueza literária.

    ResponderExcluir
  44. Olá Jana!

    Tudo muito lindo por aqui...
    Teu grafar é maravilhoso.

    Bjs

    Mila

    ResponderExcluir
  45. Obrigada pela visita Jana!
    Seguindo-te também!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  46. Bonito e forte poema!

    Obrigada por seu gentil comentário em meu blog, Janaina.

    Beijo·

    ResponderExcluir
  47. Quem disse que o Ceará só nos faz rir? Eita, terrinha pra nos brindar com almas tão zelosas. Crime é não te acompanhar.

    ResponderExcluir
  48. ...Quem sou
    Nunca me encontrei na letra de uma canção
    Nunca toquei duas notas seguidas em harmonia
    Mas perdi-me às vezes na ilusão

    Reencontrei-me com o amor
    Amargura mora sempre com a razão
    Um mágico nem sempre acerta
    No seu golpe de mão

    Mas fiz mil tentativas nesta viola
    Nenhuma nota bateu-me certa
    Sou um triste e patético tocador
    Desta...Melodia Incompleta...

    Doce beijo

    ResponderExcluir
  49. Janaína,

    Bela poetisa e belo poetizar.
    Vim agradecer tua visita e tive grata surpresa ao ler a poesia "Crime" que fez ressonância dentro de mim. Ausência em presença é crime ao amor, mas ao perdoarmos o amor se refaz...

    Beijos.
    Te sigo!

    ResponderExcluir
  50. O Mundo Precisa Mesmo de Poesia.
    Seu Blog é Revestido Dela...

    Sigo-te Nessa Estrada !

    Um Beijo !

    ResponderExcluir
  51. Maravilha de poema... Tema atual mas cheio de lirismo. Bravo!!

    Bjs

    Taninha

    ResponderExcluir
  52. Janaina,



    Belíssima poesia , toca fundo
    na gente ...


    Bjo Grande e um Dia de Paz.

    ResponderExcluir
  53. frio é o tempo

    em que o silêncio

    não frutifica



    [grato pelo
    comentário]

    ResponderExcluir
  54. muito bom teu texto...estarei atyento..grande Beijo e volte sempre!!

    ResponderExcluir
  55. No silencio a grandiosidade de sua poesia, adorei.
    Abraços

    ResponderExcluir
  56. Olá, meu boa tarde com imensa alegria, vim conhecer seu belo espaço, que sentimentosmais lindos encontrei aqui, que belo coração, seu poema, ele vem lá da alma de uma poetisa poderosa.ADOREI
    comc arinho
    Hana

    ResponderExcluir
  57. Desculpe-me pela demora, mas ando sem tempo.


    Passando para agradcer e retribuir a visita e a participação.

    Sempre será muito bem vinda ao meu blog.

    Um beijo.


    http://cabecafeminina.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  58. Há crimes que são bons; este, por ex., é deleite à literatura. Belíssimo poema!

    Um beijo,
    Ricardo.

    ResponderExcluir
  59. à queima roupa ninguém resiste!



    lindo.
    bjs meus

    ResponderExcluir
  60. Gostei desta "esferografia"... irei voltando.

    Abreijo.

    ResponderExcluir
  61. te deixo um abraço, janaína.
    romério

    ResponderExcluir
  62. aDOREI simplismente cheguei e fiquei, sempre q puder estarei por aqui...espero sua vistinha tb em um dos meus blogs espero q goste bjs

    *LADY*

    ResponderExcluir
  63. eu sei a sensação de não ter saída.

    ResponderExcluir
  64. Janaina tu tão jovem já tens uma alma sábia e doce.
    Tua alma é de um terreno fértil em trânsito com a vontade de viver e de encantar.
    E tu encantas.
    Parabéns minha cara por tão perfeita inspiração

    ResponderExcluir
  65. Lindo texto, muito bom o teu blog.
    Obrigada pela visita, seguindo-te também!

    Beijo meu

    ResponderExcluir
  66. Passando para retribuir a visita e conhecer, gostei muito do que vi.

    Muito bacana este negócio de fazer poesia em família.

    ResponderExcluir
  67. Cara Janaína, obrigada por se me apresentar. Também gostei do que aqui encontrei: o preto-e-branco encerra todas as possibilidades de cor entre os dois extremos e esse parece ser o caso aqui.
    Votos de uma boa continuação e despeço-me com um 'até breve'.

    ResponderExcluir
  68. Muito obrigado, por colocar o link dos teus poemas, tenha uma linda seman, e deixo um outro carinho para voce, beijos !!!

    Vino in veritas

    Emudecer tua boca beijos
    Deslizar o olhar com acertos
    E nos teus lábios os arranjos
    Batom e sorrisos largos
    Com tudo e todos os encantos
    Não a crime e sim bons hábitos
    No teu respirar um grande fato
    Que tu vive e assim no espelho
    Vislumbra a felicidade sem espinho
    E nos meus braços encurralada
    Na taça um bom vinho
    E uma poesia in veritas

    Ulisses Reis®
    13/12/2010

    Para Janaina Cruz

    ResponderExcluir
  69. Nossa, que lindo!
    Amei seu blog, parabéns! :D

    ResponderExcluir
  70. Passando pra deixar um beijo e agradecer pelo carinho... volto com mais tempo para ler-te..

    beijoo meu'

    Callie

    ResponderExcluir
  71. Janaína,

    um poema tão profundo quanto a dor e a verdade dos versos. Lindo! Obrigada, querida.


    Carinhoso beijo

    ResponderExcluir
  72. oiiee

    Tudo lindo por aqui. Lindos seus escritos. Ameiii.

    Feliz em te encontrar.

    Beijos meus

    ResponderExcluir
  73. Jan,

    vim agradecer a visita e deparo-me com um espaço cheio de palavras que me levaram a um outro espaço, onde flui por completo.

    o silêncio das palavras é dor, mas neste poema é poesia pura.

    bj

    ResponderExcluir
  74. Todos os aplausos a esse belíssimo escrito...Visceral! Para ler, reler e assimilar se possível...Bjos na sua alma sensível... OBRIGADA PELA VISITA QUERIDA POETA!!

    ResponderExcluir
  75. Olá!
    Às vezes, quando tudo emudece é o calor que nos inunda; então aí o "crime" pode muito bem ser diferente.
    Bj. e obgd. pela visita.
    Maria Mamede

    ResponderExcluir
  76. Janainamiga

    Escreves com rajadas e fá-lo muito bem. Eu sou mais prosa, mas sinto a poesia, sobretudo quando ela é como a tua: sentida, directa, vivida. Obrigado.

    Amiga

    Chego aqui por intermédio do nosso Amigo AC do INTERIORIDADES e estou muito satisfeito por te ter encontrado. O teu blogue é muito interessante, e bem escrito. O que, para mim, que sempre ganhei a vida a produzir prosa tão honesta quanto possível, (sou jornalista e dizem que também escritor, dizem…, e aos 69 anos não me sinto velho) é motivo acrescido de satisfação.
    Mas sou também alegre, bem disposto, brincalhão, até gozão e piadista; adoro o fado, adoro viver assim, adoro a minha família.

    Espero que me retribuas a visita e deixes comentários na Minha Travessa. E, já agora, que te tornes minha (per)seguidora. Não é pedir muito… Obrigado

    Qjs = queijinhos = beijinhos

    NB – Peço-te desculpa por este comentário ser tão longo; mas tenho de referir que é um texto base, ainda que com algumas apreciações individuais e específicas. Infelizmente não sou dono do tempo, e a sê-lo seria uma chatice… Para que não haja dúvidas. Mas, é sincero.

    ResponderExcluir
  77. " A Poesia é uma arma", assim como a...cantiga. Já dizia um poeta/cantor Português.

    Agradeço e retribuo visita ao meu cantinho.

    Bem haja.

    Tudo de bom.

    ResponderExcluir
  78. "No silêncio acomodam-se teus encantos"

    O bom do silêncio do encanto que se cala é a poesia que fala!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  79. Oi flor
    obrigada pela visita
    seja bem vinda ao meu cantinho
    estou te acompanhando..
    Beijos

    ResponderExcluir
  80. Estou chegando atrasado, mas me detenho para fazer mais um comentário. A primeira frase deste poesia ("Tudo fica estranho e frio quando emudeces") é de uma verdade que martiriza luto, mesmo estando vivo!

    abraços

    ResponderExcluir
  81. Não deixemos a poesia se acabar...e juntos vamos esse mundão alegrar. Grata pela carinhosa visita, te sigo. Sinta-se abraçada querida!

    ResponderExcluir
  82. Crime doloso. E sem direito a habeas corpus.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  83. Mais do que ler esse poema eu senti uma necessidade enorme de te dizer que gostei de fechar os olhos e senti-lo.
    Para mim ele disse muito...
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  84. Vagando nessas tantas ruas virtuais, encontrei tua porta de amante das Letras aberta - e entrei. Devo anunciar-me como um desses que diz "Oi, de casa! Trago aqui em minhas mãos a chave para dias melhores: escrevo e vendo livros!". Assim, venho te convidar para visitar o meu blog e conhecer as sinopses de meus romances, a forma de adquiri-los e, posteriormente, discuti-los. Três deles estão disponíveis inclusive para serem baixados “de grátis”, em formato PDF.
    Um grande abraço literário,

    João Bosco Maia

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...