Google+ Badge

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A idade da noite

Qual é a idade dessa noite?
O que ela espera de mim?
Sinto o vento brincando em meus cabelos e por dentro do meu vestido.
As luzes lá em baixo incendeiam a cidade que parece adormecida, esquecida que hoje é sexta-feira, dia em que a maioria das pessoas vestem-se de personagens e inventam felicidades passageiras, tão sensíveis quanto borboletas na chuva.
Uma gargalhada vinda não sei de onde preenche o ar e a memória, pois assim certa vez também sorri.
Um sorriso solto como folhas que caem de velhas árvores na praça, onde as cigarras cantam lindas canções de chuva e nimguém percebe.
A solidão divide espaço com o rapaz que tenta me beijar, noto que ele anda incomodado com a maquiagem em meus olhos e com a minha falta de fé na humanidade, cita Gande e Cristo, e eu me distraiu com as ultimas estrelas e com a idade da noite.

Janaina Cruz

15 comentários:

  1. A idade da noite... qual será, porquê ela e tudo o que dela fala, mexe sempre connosco??

    Gostei de te ler.
    um abraço
    oa.s

    ResponderExcluir
  2. A noite é sempre jovem...sempre criança.

    Gostei muito, beijinho *

    ResponderExcluir
  3. A idade da noite é a mesma do nosso espírito, da nossa vontade de jogar fora tudo que está guardado cá no peito. Linda postagem, meus parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Belo poema, Janaina!
    Um abração. Tenhas uma linda noite.

    ResponderExcluir
  5. A idade da noite e todas estas inquietações que as vezes nos acometem quando este manto desce à terra.Penso que ela se renova em cada olhar,em cada pulo que damos no sentido de tocar as estrelas e voar neste infinito negro que se abre a frente.
    Bom te ver nesta volta amiga.
    Meu terno abraço de toda paz e luz.
    Bju.

    ResponderExcluir
  6. Ui ui, a idade da noite, terá idade? Acho que sim, tem uma idade eternamente jovem =)
    Gostei *

    ResponderExcluir
  7. Janaina... passei por aqui para ler seus pensares... seus versos! suas possibilidades!
    Mande noticias... por favor!

    ResponderExcluir
  8. nossa, fez que crer numa idade da alma que não deveria ser, contam os poetas que a alma não deveria envelhecer e que o sorriso de outrora ainda possa brincar os lábios na noite da brisa fresca....

    bjus da kirah^^

    ResponderExcluir
  9. Nunca pensei assim... A noite realmente é fascinante e abre portas para coisas lindas assim como o seu poema

    ResponderExcluir
  10. Me fez lembra da doce brisa da juventude :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. É com “Palavras” que pintarei sonhos
    Navegarei mares, voarei sobre o azul do Mar
    Aqui virei com elas pintadas de ternura
    Aqui dexei um pouco do meu sonhar

    Foi um gosto aqui passar


    Terno beijo

    ResponderExcluir
  12. Passei por aqui... ler e ver seu blog... Amiga
    como anda a vida sua vida?

    ResponderExcluir
  13. A noite tem a idade perfeita para dançar sem parar ou dormir com calma.

    Que lindo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Minha querida

    Um poema nostálgico, como a noite que por vezes se envolve por dentro de tudo o que somos.

    Adorei e deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  15. eu que pensei em ser lótus
    desarmado me pus
    diante dos pensamentos de sol
    um tanto de sombra sob uma Eva
    enquanto esperava sobre a pedra
    enquanto falecer me sentia
    sombrio nos pátios de uma cidade

    desarmado pari um gato
    que passou a me seguir num círculo
    ainda que busque nas águas
    ainda que busque nos ciscos
    e nas vagens trágicas
    não é numa cidade estrangeira
    o gato me segue
    nas estivas perdidas

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...