Google+ Badge

segunda-feira, 16 de julho de 2012

O mendigo



Era impossível reconhecer o seu rosto
Tão desfigurado quando seus pés cansados de tantas distâncias
Semeavam poeira os bolsos da blusa
Poeira do tempo, da estrada, poeiras trazidas de longe.
Na boca pendiam silêncios
Vez enquanto algum evangelho
A alma doía e também o estômago vazio
Mas já havia engolido todo o passado
Antes mastigado, mastigado
Querendo esquecer

Janaina Cruz




19 comentários:

  1. Doloridamente real.
    Um grande bj querida amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um poema cortante, sei que mexi com alguns que se viram no papel... rs

      Excluir
  2. é pena que seja uma realidade... beijinho*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, é uma realidade mais comum do que pensamos, esse tipo de mendigo, cai bem até para muitos que estão vestindo seus ternos, mas com a alma em frangalhos.

      Excluir
  3. Sempre bom vim por aqui e viajar no seu mundo fantástico!!!

    Infelizmente essa uma cena real...

    ResponderExcluir
  4. Conheci um que teve um desentendimento com a família e saiu pelas ruas do Rio de janeiro. Ele tinha por hábito ficar em uma livraria lendo. certo dia minha filha resolveu presenteá-lo com uns frutos e material de higiene, resultado ele ficou bravo. rsrsrsrs
    O fato é que ele deixava a sala de leitura da livraria com um perfume estranho.
    beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Janice, tem gente que não muda, não é por falta de oportunidade e sim de coragem, ou vontade de mudar.

      Excluir
  5. Desculpe a pretensão, isso é pra mim?rs
    Bem, me identifiquei.
    O passado engolido é bem indigesto, ficando bem difícil mesmo de esquecer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsr Não meu amigo, esse poema é para pessoas que vejo andar de um lado para o outro, assombrados por um passado que fica preso a pele, e ele não sabe o que fazer para se libertar...

      Excluir
  6. Melancólico...

    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  7. Pelo menos há algo com que se alimentar: o passado.
    Tem gente que morre de fome porque se esquece de quem já foi.

    Espero que o passado mate sua fome... de futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A fome de futuro vai existir sempre Thuan, isso é inerente a todos os seres vivos, até os vermes almejam viver mais.

      O passado já passou, não serve nem para alimentar o presente, todos merecem um futuro.

      Excluir
  8. Há mágoas que não se esquecem....
    Elas latejam em nós em permanência!
    Beijinhos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um novo recomeço, a busca por ele, sara as feridas...

      Excluir
  9. Tristes versos... lindo e tocante!
    Bjinhos amiga XD

    ResponderExcluir
  10. Triste realidade, amiga. Retrato social de um país.Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. poderia falar da realidade, da dor dos moradores de rua

    mas a forma que voce retratou é "foda!"

    eu ha tempos abandonei a minha escrita de cunho social mas que bom que ainda posso ler em alguns blogs

    e isso em poesia acho mais dificil do que descrever em prosa
    parabens
    ]tiro o boné

    ResponderExcluir
  12. o mendigo sem nome mais com um passado.
    linda semana bjs

    ResponderExcluir
  13. Nossa vc disse tudo em poucas e simples palavras...
    triste realidade...mais é o mundo em que vivemos o nosso mundo...vc é d+++++++++

    Bjs e uma otima semana pra vc.

    Sinceramente: O Garoto do Blog

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...