Google+ Badge

segunda-feira, 29 de novembro de 2010


(Mais uma de minhas brincadeiras fotográficas...)


ECampel

Trabalhou em um poema

Queria falar de amor

Vislumbrou a noite amena

As linhas ela traçou



Viu a vida transparente

De tudo ela gostou

Inspiração se fez presente

Como um deus ela brincou



Fez nascer uma alegre semente

O dia logo raiou

O sol surgiu contente



Por sua janela ele entrou

Emprestando as suas cores

Ao poema que criou



Janaina Cruz

(Tive a honra de ter uma poesia postada no blog:
http://fio-de-ariadne.blogspot.com/2010/11/estenografia-no-poesia-todo-dia.html
Por lá existem trabalhos de outros poetas, tudo é lindo .)

(Helena Castelli também me fez uma adorável surpresa:
http://vistasedepoesias.blogspot.com/)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

(Desenho meu, em horas vagas brinco de ser artista plástica)

Ariadne


São ruivos os versos teus

Como pétalas abertas

De um vermelho de Zeus

Refúgios e descobertas


E as estrelas da tua voz?

Revolvem águas paradas

Entrelinhas e doce foz

Assim como sois na madrugada


Nunca baixe os teus olhos

Fixe os na vida, no horizonte

Nem crucifique teus passos


O amor bebe em tua fonte

Olhe os lírios no campo

Estão agora cobrindo o monte.


Janaina Cruz

segunda-feira, 22 de novembro de 2010



(Foto tirada na praia da Pitinga- Porto seguro)

Despedida
Eu nunca soube o que realmente sentiu
Quando no separamos.
A porta permaneceu aberta por muito tempo
Irradiando a luz nostálgica da despedida.
Teu silêncio e teu perfume ficaram em todas as paredes da casa
Nos meus ouvidos, no meu olfato
Te transformei em meu auto-retrato
Latente e vibrante,
Contendo restos perdidos de nós dois.
E então recusei-me a fechar a porta
Não podias ter ido muito longe
Sabia que voltarias
Viril e galante
Cheio de saudades
Iluminando
Iluminando
Como faísca instigando incêndios

Janaina Cruz

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...